Entenda a importância da vacina para a prevenção em saúde da população

As doses da vacina preventiva contra a gripe já podem ser reservadas pelo Portal do Beneficiário ou via aplicativo

A reserva da dose da “Campanha de Vacinação Antigripe 2021” já está disponível, até o dia 30 de novembro deste ano. O beneficiário Cassems interessado em se vacinar já pode reservar sua dose pelo Portal do Beneficiário (beneficiario.cassems.com.br). Apenas o titular do plano poderá garantir a sua dose e do seu grupo familiar. Para mais informações, o beneficiário deve ligar na Central de Atendimento (67) 3314-1010. O valor de cada dose é de R$ 75,00.
A Caixa dos Servidores realiza a campanha de vacinação há nove anos para os servidores públicos e seus familiares com o objetivo de reduzir as internações decorrentes das infecções causadas pelo vírus influenza. O Sistema Único de Saúde (SUS) distribui a vacina apenas para crianças menores de dois anos, gestantes e idosos acima de 60 anos, considerados grupos de risco. Dessa forma, uma grande parcela da população fica vulnerável ao vírus e suas consequências no período de inverno.
Para a diretora de Assistência à Saúde da Cassems, Maria Auxiliadora Budib, a vacinação anual é necessária, pois a substância tem sua composição alterada anualmente, devido aos novos vírus que entram em circulação, e os laboratórios atendem aos pedidos apenas no início de cada ano.
“Trabalhamos conforme a solicitação e quem não reservar dificilmente será vacinado, pois não há estoques desses produtos. Os nossos beneficiários são, em sua maioria, servidores públicos que circulam em ambientes de trabalho com muitas pessoas e são expostos aos vírus da gripe. Com a vacinação, teremos a saúde preservada, sem intercorrências clínicas e, assim, diminuímos a taxa de morbimortalidade”.
Neste ano, com a pandemia da Covid-19 e o Brasil sendo epicentro da doença, tomar a vacina se torna ainda mais crucial, para evitar infecções cruzadas, conforme explica a diretora de Assistência à Saúde da Cassems. “Para resguardar a população de patologias que causem impacto no sistema imunológico, a vacinação é essencial para blindar o organismo contra agentes infecciosos. Em tempos de uma crise pandêmica, como ocorre atualmente com o novo coronavírus, uma campanha como a de prevenção contra a gripe não só diminui a incidência de casos de Influenza, como também facilita no diagnóstico preciso para a Covid”.

A importância da vacina
O vírus da gripe é altamente contagioso por meio de secreções, espirros e mãos contaminadas. De acordo com a médica infectologista Márcia Dall Fabro, por este motivo, é importante que toda a família faça uso da vacina para se proteger. “Quem está doente da gripe pode, facilmente, passar a doença para um familiar. Então, todos da família deveriam estar protegidos, principalmente, pessoas que tem uma doença como o câncer, que usam imunomoduladores ou quem tem a imunidade baixa. A família deve tomar muito cuidado e não trazer o vírus para dentro de casa”.
As contraindicações para a vacina são poucas e, antes do indivíduo decidir por adiar ou não tomar a dose, é fundamental que consulte um médico de referência, conforme apontado por Marcia Dal Fabbro. “Se o paciente tiver uma infecção aguda, por exemplo, a vacina é adiada. No entanto, as contraindicações são míninas, esses pacientes devem ter a recomendação do próprios profissionais que cuidam deles”.
A gripe h1n1 é causada por uma mutação do vírus da gripe, também conhecida como gripe Influenza tipo A ou gripe suína. Tornou-se popular após um surto que afetou a população mundial entre 2009 e 2010. Apesar dos sintomas e transmissão serem semelhantes aos da gripe comum, as complicações de saúde são mais graves. O vírus Influenza pode permanecer por duas a oito horas em superfícies e, por isso, a higiene torna-se ainda mais importante ainda.
O médico generalista da Cassems, Ronaldo Costa, explica que a gripe é uma síndrome respiratória aguda e, dependendo de sua evolução, o vírus pode ser mais violento. “A infecção pode provocar falta de ar, insuficiência respiratória e, com o agravamento da doença, sem os devidos cuidados, pode levar à óbito”.
Conforme o desenvolvimento da doença, ela pode provocar outras patologias, como a pneumonia, de acordo com o médico generalista. “Se não tratada, o vírus pode evoluir para o pulmão e provocar uma pneumonia, pois, ali, a bactéria encontra um ambiente favorável, com oxigênio e sangue para se reproduzir. Além disto, a gripe provoca alguns outros sintomas, como a corisa e congestão nasal”.
Ainda, Costa reitera o alerta de que, ao se vacinar, a pessoa contribui para a proteção da sua comunidade. “Quando você se vacina, você se protege, mas, protege também, todos os que estão perto. Desta forma, não leva a infecção dentro de casa, não perde dias de trabalho ou produção. O custo da vacina é muito baixo perto de tudo o que o país perde com afastamento por causa da gripe e, até mesmo, com as fatalidades causadas pelos agravamentos da doença”.

Sarah Santos
Ascom Cassems

A primavera chegou! 5 receitas saudáveis para reproduzir em casa com frutas e verduras da estação

Apesar da recomendação para o distanciamento social, é possível ter momentos bacanas em casa, com receitas saborosas e saudáveis

O contágio da Covid-19 em Mato Grosso do Sul caminha para a estabilização. Essa é um boa notícia, no entanto, não significa que a pandemia acabou. Com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o isolamento social, os momentos de diversão podem acontecer de outra maneira. Seja em casa, ou até mesmo online, para evitar a aglomeração de pessoas. 

É possível trazer a nutrição para dentro de casa, ao realizar uma refeição com a família. O programa de prevenção da Cassems, “Cozinha Experimental”, realiza aulas de culinária saudável, com ingredientes acessíveis e de fácil preparo. Com a chegada da primavera, é possível aproveitar as hortaliças da época para criar preparações deliciosas. Confiram 5 dicas de receitas de baixo custo, fácil preparo e alto valor nutritivo.

Bolo de abóbora com castanha do Pará e especiarias

Ingredientes

– 2 ½ xícara de chá de abóbora crua e sem casca

– 1 ½ colheres de sopa de açúcar de coco (para cozinhar a abóbora)

– 2 lascas de canela em pau

– 3 ovos

– 3 col. de sopa de óleo de coco

– 1 e 1/2 xícaras de farinha de arroz 

– 1 xíc de chá de açúcar de coco

– 1 col. de sopa de fermento em pó

– 1 xíc de chá de castanha do Pará picada

– 1 col. de sob de canela em pó

– 1 pitada de sal rosa

– ½ col. de chá de noz moscada ralada

Modo de fazer:

Numa panela, junte a abóbora, uma e meia colher de sopa de açúcar, a canela e água suficiente para cozinhá-la. Assim que a abóbora estiver macia, escorra, retirando a canela. Bata a abóbora, o óleo e os ovos no liquidificador. Junte a farinha, o açúcar de coco restante, a canela, noz moscada e a castanha picada em uma tigela. Acrescente aos poucos a mistura de abóbora e misture bem sem bater e, então, o fermento vai por último. Despeje em assadeira  untada e polvilhada. Coloque no forno a 180° pré aquecido e asse até dourar, de 30 a 40 minutos.

Risoto de quinoa com frango, gorgonzola e brócolis

Ingredientes:

– Caldo de legumes

– 5 coxas de frango

– 1 cebola em cubos

– ½ cenoura em cubos

– 2 talos de aipo fatiados

– ¼ de pimenta dedo-de-moça fatiada

– Tomilho, louro, alecrim

– 2 colheres de açafrão da terra 

– 1 colher de extrato de tomate

– 2 litros de água fervente

– 1 colher de alho picado

– 1 colher de gengibre ralado

– Sal, pimenta do moinho

– ½ brócolis americano

Risoto:

– 250 gramas de quinoa 

– 4 colheres de cebola picada grossa

– 250 gramas de parmesão ralado

– 100 gramas de gorgonzola em cubos

– Suco de 1 limão siciliano

– Sal, pimenta do reino

Toque final:

– Salsa picada

– Parmesão

– Raspa de limão siciliano

– Azeite extra-virgem

Modo de Preparo:

Caldo de legumes:

Sue todos legumes e ervas no azeite. Junte o açafrão da terra, extrato de tomate, gengibre e alho. Molhe com a água fervente. Tempere as coxas de frango com sal e pimenta do moinho e coloque na panela. Cozinhe em fogo baixo tampado durante 30 minutos

Retire as coxas de frango do caldo, esfriar e desfiar.

Brócolis:

Ferva água e coloque sal. Corte o brócolis em pedaços e jogue na água fervente. Cozinhe por 3 minutos. Jogue na água gelada para realizar um choque térmico. Retire da água e pique.

Risoto:

Frite a cebola no azeite. Junte a quinoa e refogue por 2 minutos. Coloque, pouco à pouco, o caldo fervendo peneirado até a quinoa ficar al dente, por 15 minutos. Junte parmesão e gorgonzola e cozinhe mais 5 minutos. Finalize com o limão. Verifique sal e pimenta do moinho.

Toque final

Finalize o risoto com frango desfiado e brócolis. Coloque o risoto de quinoa no prato fundo. Rale parmesão e limão em cima. Decore com brócolis. Regue com um fio de azeite

Bruschetta de ervilhas

Ingredientes:

– 150 g de ervilhas

– 1 fio de azeite

– 1 colher de sopa de hortelã picada, mais um pouco para decorar

– 4 fatias de pão tostado

– Queijo de cabra aos pedaços

Preparação: 

Ferver as ervilhas, escorrer e despejar numa taça. Esmagá-las levemente com um garfo e adicionar um fio de azeite, uma colher de sopa de hortelã picada e temperar com flor de sal e pimenta a gosto. Cobrir as quatro fatias de pão tostado com as ervilhas, o queijo de cabra aos pedaços, algumas folhas de hortelã e adicionar um fio de azeite. Acerte com mais um pouco de flor de sal e pimenta preta moída no momento.

Bolo funcional de laranja, coco e gengibre

Ingredientes:

– 1 laranja inteira, sem casca e sem caroços

– 3 ovos inteiros

– 1 xícara de leite vegetal 

– 1 xícara de coco ralado seco

– 1/2 xícara de farinha de arroz 

– 1/2 xícara de farinha de amêndoas (basta triturar amêndoas no liquidificador)

– 1 colher de sobremesa de fermento em pó

– 1 colher de chá de gengibre fresco ralado

– 3/4 xícaras de adoçante culinário (ou açúcar de coco, mascavo, demerara)

Modo de Preparo:

No liquidificador, bater a laranja, os ovos e o leite até que vire uma mistura homogênea. Em um recipiente a parte, juntar as farinhas, o adoçante e o fermento. Misturar. Juntar as 2 misturas e mexer bem. Colocar o gengibre ralado. Untar uma forma média com óleo de coco, colocar a massa e levar ao forno médio (180º), pré-aquecido, até dourar. 

Risoto de beterraba

Ingredientes

Para o caldo de legumes:

– 1 litro de água

– 2 beterrabas com talo

– 1 cebola grande

– 1 cenoura grande

– 1 punhado de cheiro-verde

– 1 punhado de manjericão

– Folhas de beterrabas

– Sal a gosto

– Pimenta-do-reino à gosto

– 1 punhado de alecrim

– 4 dentes de alho

Para o risoto:

– 2 beterrabas grandes

– ½ cebola

– 3 dentes de alho

– 1 punhado de cheiro-verde

– 4 colheres (sopa) de azeite

– 1 xícara (chá) de vinho branco seco

– 2 xícaras (chá) de arroz arbóreo

– 300g de queijo parmesão

– Azeite à gosto

Modo de Preparo

Caldo de legumes:

Encha uma panela com 1 litro de água em temperatura ambiente. Corte a cenoura e a cebola grosseiramente e coloque na panela com água. Amasse 4 dentes de alho, retire a casca e coloque na panela. Adicione cheiro verde, manjericão, folhas de beterraba, sal e pimenta do reino. Pique duas beterrabas e adicione à água. Leve ao fogo e deixe ferver.

Risoto:

Descasque e pique bem ½ cebola, 3 dentes de alho e cheiro verde. Numa frigideira, acrescente azeite, sal, cebola, alho e cheiro verde e leve ao fogo para refogar. Descasque e rale de forma bem fina 2 beterrabas e esprema em um coador de pano para retirar o suco. Pode usar uma centrífuga. Reserve o suco. Acrescente ao refogado duas xícaras do arroz arbóreo e mexa bem. Quando o arroz torrar um pouco, acrescente o vinho branco seco e misture. Acrescente uma concha cheia com o caldo de legumes e mexa. Quando sentir que o risoto está secando, acrescente mais um pouco do caldo e misture. Acrescente ao risoto todo o suco da beterraba e misture bem. Acrescente mais uma concha de caldo de legumes e deixe engrossar. O ponto do risoto é al dente. Caso precise de mais um pouco de caldo, vá colocando e mexendo, até chegar ao ponto. Rale o queijo parmesão. Retire o risoto do fogo e adicione o queijo e o azeite trufado e misture. O risoto está pronto para ser servido.

Sarah Santos
Ascom Cassems

No Dia Mundial de Combate ao Estresse, é necessário falar sobre o aumento durante o período de pandemia

O Dia Mundial de Combate ao Estresse é nesta quarta-feira (23). De acordo com pesquisa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), os problemas de saúde mental aumentaram durante a pandemia do novo coronavírus e o isolamento social. O estudo foi feito entre os dias 20 de março e 20 de abril, com participação de 1.460 pessoas de 23 estados. O levantamento aponta que os sintomas de estresse aumentaram em 80%.
O psicólogo Ricardo Takaki explica que o estresse é uma reação natural e fisiológica do corpo. “Quando estamos diante de algo ameaçador, o estresse no coloca em estado de alerta e nos leva a agir à partir disso. No entanto, na sociedade atual, com o ritmo que o mundo vem vivenciando, o nível de estresse está aumentando acima do que é normal”.
Para salientar o aumento do estresse na população com o passar do tempo, Ricardo afirma que as motivações dos indivíduos, hoje, são outras. “Na antiguidade, o homem passava pelo estresse ao fugir de um predador ou caçar animais, por exemplo. Hoje, os momentos de estresse pelos quais passamos não são mais tão físicos, mas são ameaças psicológicas, que nós interpretamos e isso nos gera o estresse”.
De acordo com o psicólogo, o cenário de pandemia agravou o sentimento de estresse nas pessoas. “Quem está em home office, por exemplo, pode sofrer de estresse pela mudança de rotina e a convivência com outras pessoas que também estão trabalhando em casa. Nesse momento, o vírus desta pandemia é uma ameaça, mas uma ameaça invisível. Traz essa sensação de alerta e devemos tomar os cuidados necessários, temos medo da contaminação e das consequências de uma contaminação”.

Como lidar com o estresse
Para prevenir o estresse excessivo, Ricardo explica que é necessário buscar atividades para relaxamento. “As pessoas devem buscar atividades que sejam do seu agrado para um momento de descanso. Além disso, podem realizar técnicas de respiração e meditação. É importante salientar que quando o nível de estresse extrapola, pode ser preciso acompanhamento médico e psicológico”.
Takaki salienta que, para ajudar um indivíduo com estresse, é preciso ter empatia. “Às vezes, uma pessoa estressada está em sofrimento e não adianta forçá-la a sair daquele estado. Então, para contribuir, podemos convidar esse indivíduo para uma atividade relaxante ou levar informações embasadas cientificamente sobre isso, para que ela entenda o que acontece com ela naquele momento. Uma conversa séria e com boas intenções pode fazer com que um familiar ou amigo se convença a buscar uma psicoterapia”.

Sarah Santos
Ascom Cassems

Em quase dois meses de atendimento, ‘Programa Acolher’ da Cassems já enviou mais de 1.500 boletins para os familiares de beneficiários

‘Programa Acolher’ conta com uma equipe de profissionais de saúde para orientar aos familiares de pacientes

A estrutura levantada no estacionamento do Hospital de Cassems Campo Grande para atender familiares de pessoas internadas caminha dois meses de atendimento. Do dia 22 de julho à 08 de setembro, foram 1.597 boletins médicos enviados e 740 contatos telefônicos, com entes queridos de pacientes. O ambiente é composto por dois containeres, para que os profissionais da Caixa dos Servidores dialoguem sobre o quadro clínico, bem como oferecer auxílio psicológico para pessoas próximas dos beneficiários em internação. O local tem assistentes sociais e psicólogos à disposição, todos os dias da semana, das 7h às 17h.

Com o protocolo de “visita 0” para pacientes que ocupam leitos no Hospital Cassems, em decorrência do aumento expressivo de casos da Covid-19, a estrutura foi armada com o objetivo de proteger os beneficiários internados e seus familiares, evitando possíveis contaminações.

Durante os 48 dias de atendimento, o “Programa Acolher” teve 162 atendimentos presenciais, 96 agendamentos de televisitas, 87 mediações para orientação entre médico e família, 913 atendimentos telefônicos, entre outras intervenções, que reiteram a importância da humanização para o plano de saúde.

De acordo com a diretora de Assistência à Saúde da Cassems, Maria Auxiliadora Budib, todos os hospitais da Cassems do estado prezam pela humanização no atendimento. “Neste momento de pandemia, precisamos usar da empatia e união para levar o melhor atendimento aos nossos beneficiários. Com a necessidade de isolamento social dos pacientes internados na unidade hospitalar, torna-se mais difícil para os familiares terem notícias do quadro clínico daquele indivíduo. Então, instalamos dois containeres no estacionamento do hospital, com assistente social e psicólogas, para acolher essas pessoas”.

A assistente social Luana Leal explica que, neste momento, o serviço social funciona como um mediador para acolher e assegurar o vínculo com o familiar. “Há pessoas com entes queridos internados e, por conta da pandemia, não podem visitá-los. Desta forma, um dos principais processos de intervenção é a escuta social qualificada. Para isso, o acolhimento é realizado de forma individualizada, com cuidado, oferecendo um ambiente reservado e tranquilo”

A coordenadora de Psicologia da Cassems, Claudia Szukala, salienta que o “Programa Acolher” inclui, também, apoio psicológico aos familiares que necessitarem de suporte na internação de um ente querido. “Esse cuidado com as famílias é importante, pois elas também ficam fragilizadas. Percebemos que aumentam os níveis de ansiedade, irritabilidade, medo e insegurança. A Psicologia está junto para acolher esses sentimentos e sensações e tornar esse momento de tensão menos difícil”.

Os familiares de pacientes que quiserem entrar em contato com a Assistência Social podem ligar para o número 3323-0480. Ainda, os que quiserem entrar em contato com a Psicologia, devem ligar para 3323-0481.

Sarah Santos
Ascom Cassems

Amamentação na pandemia: especialistas apontam que o aleitamento materno deve ser mantido

Cuidados como o uso de máscara e higienização das mãos e do seio devem ser tomados pelas lactantes

 Neste ano, a pandemia da Covid-19 trouxe um modo diferenciado de se viver cotidianamente, buscando, prioritariamente, a prevenção e combate da nova doença. Para gestantes e lactantes, a preocupação não é apenas com os cuidados individuais, mas também com o pequeno ou pequena que acaba de vir ao mundo. Para orientar quanto à amamentação, residentes em Pediatria do Hospital Cassems Campo Grande falam como deve ser feito o procedimento.

A residente em Pediatria Ana Paula Cremorin explica que a mãe que tem o diagnóstico confirmado para a Covid-19 ainda pode amamentar, desde que seja feito com segurança. “Caso não haja contraindicações orientadas pelo seu profissional de saúde, ela pode amamentar com tranquilidade, desde que tome os devidos cuidados para evitar possíveis contaminações”.

De acordo com Maria Carolina Guimarães, residente em Pediatria, se a mãe estiver com suspeita ou confirmação do novo coronavírus, a máscara deve ser usada em todo o processo. “Se ela tossir, espirrar ou a máscara ficar úmida, ela deve ser trocada. Entre uma mamada e outra, é preciso utilizar uma nova. Se for descartável, tem que ser jogada fora e as máscaras de pano devem ser devidamente lavadas”.

Antes de amamentar o bebê, Maria Carolina orienta para a lavagem rigorosa das mãos. “É necessário lavar as mãos com água e sabão, por vinte segundos, antes de iniciar as mamadas. Pode passar o álcool 70% também. Durante o processo, é preciso evitar de deixar o bebê tocar o cabelo ou a mão da mãe, porque depois eles levam a mão à boca. Se estiver na maternidade e a mãe for suspeita ou confirmada, tem que manter o distanciamento de dois metros da criança e só pegar no momento da amamentação”. 

Para Heidy Botelho, residente em Pediatria, neste momento de pandemia, é importante ter alguns cuidados específicos antes da amamentação. “Se possível, a mãe deve tomar banho e trocar de roupa. Ou, pelo menos, lavar o seio com água e sabão, pois o vírus é transmitido também por meio do contato físico”.

Sarah Santos
Ascom Cassems

Cassems realiza live musical para falar da prevenção ao suicídio

O evento é alusivo à campanha ‘setembro amarelo’

Na próxima quinta-feira (17), às 18h, a Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems) realiza a live musical “Diálogos Afetivos”, na campanha setembro amarelo, de prevenção e conscientização do suicídio. Com muita música, interação e orientações de profissionais da saúde, o plano de saúde se preocupa em pautar o tema de maneira leve e acessível. O encontro digital será aberto para toda a comunidade e os participantes podem acessar pelas redes sociais da Cassems.
A diretora de Assistência à Saúde da Cassems, Maria Auxiliadora Budib, salienta que a saúde mental sempre foi uma das prioridades do plano de saúde. “A Caixa dos Servidores, pioneiramente como operadora de saúde no estado, instituiu Centros Integrados em Atenção Psicossocial para fazer o acolhimento de beneficiários em equipe multiprofissional e um quadro de profissionais de ponta, com psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, nutricionistas e assistentes sociais”.
Com a pandemia da Covid-19 e a recomendação para o isolamento social, a saúde mental da população em geral foi impactada e o plano de saúde precisou criar estratégias para atender essa nova demanda, conforme explica Maria Auxiliadora. “Estabelecemos a telepsicologia e as terapias on-line, para que nossos beneficiários não se sintam sozinhos e em desamparo. Nós estamos aqui. E acreditamos que há várias formas de solucionar o que nos traz dor”.
A coordenadora de Psicologia da Cassems, Claudia Szukala, afirma que é de fundamental importância parar para pensar sobre a questão da saúde mental, uma vez ao ano. “A saúde da mente é um tema que, por muito tempo, foi colocado embaixo do tapete, por ser muito complexo. No entanto, é importante refletir a respeito. Então, preparamos esse evento para falar sobre prevenção de maneira leve e bonita, com músicas”.

Sarah Santos
Ascom Cassems

Campanha de Vacinação Antigripe 2021: Reserva da dose pode ser feita até o dia 30 de novembro

A reserva da dose da “Campanha de Vacinação Antigripe 2021” pode ser feita até o dia 30 de novembro deste ano. O beneficiário Cassems interessado em se vacinar já pode reservar sua dose pelo Portal do Beneficiário (beneficiario.cassems.com.br). Apenas o titular do plano poderá garantir a sua dose e do seu grupo familiar. Para mais informações, o beneficiário deve ligar na Central de Atendimento (67) 3314-1010. O valor de cada dose é de R$ 75,00.
A Caixa dos Servidores realiza a campanha de vacinação há nove anos para os servidores públicos e seus familiares com o objetivo de reduzir as internações decorrentes das infecções causadas pelo vírus influenza. O Sistema Único de Saúde (SUS) distribui a vacina apenas para crianças menores de dois anos, gestantes e idosos acima de 60 anos, considerados grupos de risco. Dessa forma, uma grande parcela da população fica vulnerável ao vírus e suas consequências no período de inverno.
A vacina protege contra os diversos subtipos do vírus da h1n1 e, na Cassems, pode ser tomada a partir dos três anos de idade. É importante saber que os subtipos do vírus podem variar de um ano para o outro. Devido a essa mutação do vírus, a composição e a produção da vacina também mudam a cada ano. Por essa razão, é necessário se vacinar anualmente contra a influenza. Os principais sintomas da gripe são: febre alta e calafrios, dor de garganta, tosse e dor de cabeça, nariz entupido e dores no corpo.
Para a diretora de Assistência à Saúde da Cassems, Maria Auxiliadora Budib, a vacinação anual é necessária, pois a substância tem sua composição alterada anualmente, devido aos novos vírus que entram em circulação, e os laboratórios atendem aos pedidos apenas no início de cada ano.
“Trabalhamos conforme a solicitação e quem não reservar dificilmente será vacinado, pois não há estoques desses produtos. Os nossos beneficiários são, em sua maioria, servidores públicos que circulam em ambientes de trabalho com muitas pessoas e são expostos aos vírus da gripe. Com a vacinação, teremos a saúde preservada, sem intercorrências clínicas e, assim, diminuímos a taxa de morbimortalidade”.
Neste ano, com a pandemia da Covid-19 e o Brasil sendo epicentro da doença, tomar a vacina se torna ainda mais crucial, para evitar infecções cruzadas, conforme explica a diretora de Assistência à Saúde da Cassems. “Para resguardar a população de patologias que causem impacto no sistema imunológico, a vacinação é essencial para blindar o organismo contra agentes infecciosos. Em tempos de uma crise pandêmica, como ocorre atualmente com o novo coronavírus, uma campanha como a de prevenção contra a gripe não só diminui a incidência de casos de Influenza, como também facilita no diagnóstico preciso para a Covid”.

Sarah Santos
Ascom Cassems

ARTIGO: A importância do cuidado com a saúde mental durante a pandemia do coronavírus

Vivemos tempos difíceis, não há como negar. Se nos dissessem que 2020 começaria com o mundo sofrendo uma pandemia de coronavírus, muitos não acreditariam, até porque nossa geração nunca viveu uma situação como esta – pandemia era palavra conhecida apenas no dicionário.
O isolamento, o medo, os efeitos nocivos na economia, as mudanças na rotina das pessoas e as incertezas sobre o futuro têm afetado o equilíbrio psicológico da população.
Aqui no Brasil, antes mesmo de chegar o coronavírus, já havia estudos mostrando que somos um país com alto nível de ansiedade. E agora, como fica essa situação em tempo de pandemia? Provavelmente, teremos índices ainda maiores de elevação do nível de ansiedade e, consequentemente, um aumento de casos de doenças mentais.
As pessoas que não conseguirem cuidar de sua saúde mental terão grandes chances de desenvolverem depressão, transtorno do pânico, estresse pós-traumático, fobias, ou sentirem muito desânimo, desilusão, raiva, tédio, entre outros impactos negativos.
Afinal, como cuidar da sua saúde mental em tempos de tantas incertezas?
A primeira questão é a abundância de notícias e fake news, que fazem as pessoas mergulharem em um mundo negativo, aumentando o nível de ansiedade e estresse. É importante apenas se informar e controlar o impulso de procurar novidades sobre o assunto o tempo todo, porque isso estimula o cérebro a ter medo várias vezes por dia.
As pessoas que estão em quarentena precisam ficar atentas, pois o isolamento social também pode ter efeito negativo na saúde mental. Estabelecer uma rotina diária, fazer atividade física, cuidar da alimentação e conectar-se com amigos e familiares de forma virtual são pequenas atitudes que podem ajudar a diminuir o nível de ansiedade.
Precisamos estar atentos às relações humanas, pois ter apoio e ajuda das outras pessoas é importante nas situações de crise. Expressar como nos sentimos e saber que esses sentimentos expressados estão sendo acolhidos, e não julgados, diminui a ansiedade. E não apenas acolher o dos outros, mas também acolher os próprios sentimentos. Aproveitar esse momento para aprender a olhar para dentro de si, relembrar quais são os seus sonhos, seus objetivos e o que te motiva, ser mais flexível consigo e com os outros.
O que vai ajudar a determinar se a pessoa vai sair desta pandemia adoecida psiquicamente ou mais forte é a sua capacidade de resiliência, ou seja, de se recuperar de situações de crise e aprender com elas.
Pessoas que conseguirem ter a mente flexível e o pensamento otimista, ser criativas e criar novas formas de viver, aceitar a nova realidade, mesmo que ela seja menos interessante do que a vivida antes, sairão desta pandemia mais fortalecidas.
Diante da preocupação com a saúde mental de seus beneficiários e colaboradores, a Cassems abriu um novo serviço de psicologia, o acolhimento psicológico via telefone. Temos uma equipe de psicólogos pronta para uma escuta especializada, das 7h às 22h, de segunda a sexta. O telefone de acesso é 4001-6919.
O importante é que as pessoas cuidem de sua saúde mental, para que não tenhamos um aumento significativo de casos de doenças mentais depois da pandemia.


Por Claudia Szukala, coordenadora de Psicologia da Cassems

Psicóloga, mestre em Psicologia da Saúde e especialista em Musicoterapia e Psicoterapia de Orientação Psicanalítica. Atualmente, é coordenadora do Setor de Psicologia da Cassems, psicóloga clínica e professora do curso de Psicologia da FCG-Facsul.

Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio: em tempos de pandemia, os cuidados com a saúde mental se tornam ainda mais importantes

No dia 10 de setembro, o assunto suicídio entra em pauta de maneira mais intensa, com o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Desde 2014, denominada pela Sociedade Brasileira de Psiquiatria, em parceria com o Conselho Federal de Medicina, a data é utilizada para fazer um alerta à toda a população sobre a gravidade do tema. Para a Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems), a saúde mental é um pilar importante para o bem-estar. Por isso, o plano de saúde se preocupa constantemente em trazer iniciativas diferenciadas para cuidar dos servidores do estado e seus familiares.

Conforme explica a diretora de Assistência à Saúde da Cassems, Maria Auxiliadora Budib, os números em relação ao suicídio crescem constantemente. “A depressão, a ansiedade, a falta do olhar cuidadoso na saúde mental trazem sequelas irreversíveis à família e à sociedade. Por isso, precisamos dar atenção ao tema e estarmos atentos ao cuidado com a saúde mental”.

O cenário de pandemia e a necessidade do isolamento social, de acordo com Maria Auxiliadora, fizeram com que as pessoas se sentissem mais solitárias, o que pode ser um indicativo para um quadro de fragilização da saúde mental. “Já tínhamos a preocupação em relação aos cuidados com a mente e, neste momento, a pandemia trouxe novas dores emocionais para as pessoas. A transformação no modo de se viver impactou fortemente a sociedade”. 

A diretora de assistência à saúde da Cassems salienta que as mudanças na rotina e o medo constante de adquirir a Covid-19 contribuem para uma piora na saúde mental.  “As regras de isolamento social e o desestímulo ao contato físico afetam o modo de vida das famílias e traz a solidão para mais perto de cada um de nós”.

De acordo com coordenadora de Psicologia da Cassems, Cláudia Szukala, a Caixa dos Servidores está sempre atenta a questão da saúde mental. “Temos esse olhar cuidadoso com a saúde da mente há muito tempo. Agora, com a pandemia, tivemos que intensificar essas ações. As situações de isolamento, incertezas, medo, tristezas, estão mais constantes na pandemia. Então, é necessário retomar essa assistência com mais iniciativas, que alcancem todos os beneficiários”.

Cuidados com a saúde mental em tempos de pandemia

A Cassems desenvolveu várias ferramentas e ações para atenuar o sofrimento das pessoas que estão passando por esse momento delicado. No início de maio, a Caixa dos Servidores lançou um serviço de acolhimento psicológico, via telefone, para os seus beneficiários e colaboradores de todo o estado. O atendimento é gratuito e busca oferecer uma escuta qualificada para diminuir ao máximo o sofrimento psíquico individual e coletivo, com psicólogos que estarão na retaguarda para que os beneficiários passem por esse período de instabilidade em organização das suas ideias e pensamentos. O canal funciona por meio do telefone (67) 4001-6919, de segunda à sexta-feira, das 7h às 22h.

Cuidar, acolher e humanizar são verbos que fazem parte do dia-a-dia da diretoria e dos colaboradores da Cassems. Com a adoção do protocolo “Visita 0”, que restringe ao máximo o número de visitas aos pacientes internados no Hospital Cassems de Campo Grande, a Caixa dos Servidores lançou duas ações que visam amenizar o distanciamento entre o paciente e seus familiares, além de oferecer todas as informações sobre o internado.

O “Robô Ipê” é uma ferramenta de televisita que auxilia os familiares de pacientes com Covid-19 internados, onde, por meio de vídeo, eles podem conversar com o ente internado. As famílias também recebem boletins médicos diários via e-mail. Com esse recurso, pioneiro em Mato Grosso do Sul, os familiares podem agendar um horário definido com a equipe técnica. Já o “Espaço Acolher” é uma estrutura física composta por dois containers, montada no estacionamento do Hospital de Campo Grande, feita exclusivamente para receber os familiares de pacientes internados. Neste ambiente, é possível dialogar sobre o quadro clínico, bem como oferecer auxílio psicológico para pessoas próximas dos beneficiários em internação. O local oferece assistentes sociais e psicólogos à disposição, todos os dias da semana, das 7h às 17h.

Sarah Santos
Ascom Cassems

Fim de semana em casa: 5 receitas saudáveis para reproduzir em casa no fim de semana

Apesar da recomendação para o distanciamento social, é possível ter momentos bacanas em casa, com receitas saborosas e saudáveis

O contágio da Covid-19 em Mato Grosso do Sul caminha para a estabilização. Essa é um boa notícia, no entanto, não significa que a pandemia acabou. Com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o isolamento social, os momentos de diversão podem acontecer de outra maneira. Seja em casa, ou até mesmo online, para evitar a aglomeração de pessoas. 

É possível trazer a nutrição para dentro de casa, ao realizar uma refeição com a família. O programa de prevenção da Cassems, “Cozinha Experimental”, realiza aulas de culinária saudável, com ingredientes acessíveis e de fácil preparo. Confiram 5 dicas de receitas de baixo custo, fácil preparo e alto valor nutritivo. 

Torta de frango low carb

Ingredientes:

6 ovos

1 caixinha de creme de leite

1 colher de sopa de requeijão

100 gramas de mussarela ralada

500 gramas de peito de frango desfiado

Uma cebola

Um tomate

1 1/2 colher de café de fermento em pó

Modo de Preparo:

No liquidificador, bata os ovos, a mussarela, o creme de leite e o requeijão, bata tudo por 5 minutos, coloque o fermento e bata por mais 1 minuto.

Recheio:

Refogue o peito de frango e faça um molho de sua preferência. Em uma forma untada com azeite ou manteiga, coloque uma camada de massa, depois o recheio e, por último, o restante da massa. Assar em forno alto por 30 minutos.

Bolo de côco low carb

Ingredientes:

200 ml de leite de côco

5 ovos

3/4 xícara de chá de côco ralado

1/2 xícara de chá de farinha de côco

1 colher de chá de fermento biológico

1/2 xícara de chá de adoçante xylitol ou outro de sua preferência

1/2 xícara  de chá de creme de côco ou de leite

Modo de preparo:

Bata tudo no liquidificador e asse em forno pré-aquecido em 180 ºC por 30 minutos. Se desejar, enfeite com côco ralado por cima.

Arroz de legumes

Ingredientes:

1 colher de sopa de azeite

1 cebola ralada

3 tomates sem sementes picados

1 xícara de chá de repolho fatiado

1 lata de seleta de legumes

1 xícara de chá de frango desfiado 

1 xícara de chá de mussarela em cubos

4 xícaras de chá de arroz integral cozido

1 lata de creme de leite light

1 ovo

1 colher de café de sal

Modo de preparo:

Aqueça o azeite e refogue a cebola e os tomates. Acrescente o repolho e deixe refogar um pouco mais. Junte a seleta de legumes e o frango e refogue. Retire do fogo e misture o queijo e o arroz. Coloque em um refratário untado e reserve. Bata o creme de leite com o ovo e o sal e cubra o arroz. Leve ao forno para dourar.

Bolinho Assado de Feijão com Couve

Ingredientes:

3 folhas de couve

2 tomates

1 cebola

1 colher de chá de sal

1 colher de chá de pimenta calabresa, sendo opcional

1 xícara de salsinha ou a erva da sua preferência

2 xícaras de grão de feijão preto cozido, esta receita pode ser feita com qualquer tipo de feijão, inclusive com grão de bico e lentilha

1 colher de chá de azeite

1/2 xícara de farelo de aveia ou farinha de linhaça

Modo de Preparo:

Higienize a couve, o tomate e a salsinha. Retire e descarte o talo central da couve, pode fazer com o talo se quiser, porém a receita fica amarga, enrole as folhas formando um charuto e, então, fatie bem fininho. Pique a cebola e a salsinha. Corte os tomates em 4 partes, retire e descarte o caroço, então pique. Em uma panela, coloque o azeite e a cebola, deixe refogar por 2 minutos. Acrescente a couve e refogue por 1 minuto. Adicione o tomate, o sal e a pimenta, cozinhe por mais 1 minuto. Em uma tigela, coloque a salsinha e o feijão, com um amassador de batata ou um garfo amasse bem até ficar na consistência de um purê. Acrescente a couve refogada e misture bem. 

Pegue duas colheres de sopa da massa e modele em formato de bolinha, não dá para enrolar como brigadeiro, é necessário apertar a massa e moldar. Passe as bolinhas pelo farelo de aveia. Se quiser que o bolinho fique crocante por fora, bata 2 ovos, passe o bolinho no ovo e depois no farelo de aveia. Coloque os bolinhos em uma forma untada e leve para assar em forno pré-aquecido a 180C por 20 minutos.

Hambúrguer de lentilha

Ingredientes:

1 xícara de lentilha crua

1 xícara de farinha de aveia ou farinha de arroz para intolerantes a glúten

1 cebola grande

Sal a gosto

Salsa a gosto, sendo opcional

Óleo vegetal

Modo de Preparo:

Em uma panela grande, cozinhe a lentilha até ficar macia. Escorra a água e transfira para um prato grande. Amasse com ajuda de um garfo, não precisa ficar homogêneo, pode deixar alguns grãos inteiros para dar textura ao hambúrguer. Pique a cebola em cubinhos e doure no óleo vegetal. Misture a lentilha amassada com a cebola dourada, salsa picada, sal a gosto e farinha de aveia. Modele os hambúrgueres no tamanho e espessura que quiser. Aqueça um fio de óleo vegetal e frite o hambúrguer nos dois lados até ficar dourado. Os hambúrgueres que você não for consumir congele sem fritar para os próximos dias.