Você já ouviu falar da Ginástica Cerebral? Conheça essa modalidade de exercício diferente

A ginástica cerebral fortalece as conexões neuronais e mantém o cérebro ágil e forte

O cérebro humano é composto por dois hemisférios. O direito, geralmente, está associado ao pensamento linear, aos números, ao raciocínio lógico e ao uso da linguagem. Já o hemisfério esquerdo é considerado o lado criativo, ligado às artes, às emoções, às sensações e à imaginação. A ginástica cerebral é um método de ativação simultânea desses dois hemisférios, ela está baseada na educação cinestésica e pode ser usada para melhorar a capacidade de aprendizado e, consequentemente, provocar um aumento de desempenho nas mais diversas atividades e funções. Inclusive, no trabalho.
Para a prática da ginástica cerebral, podem ser feitas uma série de atividades e movimentos mecânicos simples. Esses exercícios são responsáveis por ativar partes do cérebro que normalmente não costumam ser utilizadas, aprimorando o funcionamento do órgão. Com isso, é possível aumentar a concentração, a criatividade, a leitura e a escrita, além da capacidade de raciocínio.

Origem do Método
A ginástica cerebral surgiu na Califórnia, nos Estados Unidos, na década de 1970. Seu precursor foi o pesquisador Paul Dennison, pioneiro da pesquisa cerebral aplicada e criador da educação cinestésica. As descobertas de Dennison se basearam na compreensão da interdependência do desenvolvimento acadêmico, do desenvolvimento físico e da aquisição da linguagem. Em outras palavras, o especialista descobriu que todas essas áreas estavam ligadas entre si. Consequentemente, a estimulação de uma contribuiria para o desenvolvimento das outras.

Principais Benefícios
Entre os benefícios individuais da ginástica cerebral, estão as melhoras do equilíbrio, percepção e coordenação motora. A prática ainda oferece a clareza de pensamentos, melhora da organização, aumento da consciência e capacidade para fazer novas escolas. Também, é possível perceber o desenvolvimento da criatividade, resolução de problemas e redução do estresse.
A técnica é capaz ainda de ser aplicada em grupos e podem contribuir com benefícios coletivos, como o foco da equipe nas atividades, melhora na concentração, aumento da produtividade e alívio de tensões físicas e emocionais. Com a ginástica do cérebro, também pode-se alcançar um aumento na capacidade de inovação, agilidade nas tomadas de decisões e maior abertura para mudanças. Ao praticar exercícios para o cérebro, aprimora-se a capacidade de aprendizado, memorização e raciocínio.

Exercícios de Ginástica Cerebral
Durante o período de isolamento social, é possível buscar atividades que agreguem positivamente para a mente ou o corpo. No caso, a ginástica do cérebro pode ser facilmente praticada em casa, sozinho ou em família. Descubra alguns métodos para trabalhar a concentração e criatividade:

  • Ouça uma música e tente identificar os instrumentos do conjunto;
  • Jogue dama ou outros jogos que estimulem o raciocínio lógico;
  • Mude alguns afazeres da sua rotina dentro de casa;
  • Escreva com a mão não dominante;
  • Sem olhar, escolha roupas, sapatos e assim por diante, combinando ou contrastando texturas;
  • Mude a localização de objetos familiares que você normalmente pega sem pensar;
  • Faça uma refeição com alimentos que possam trazer de volta algumas memórias da infância;

Sarah Santos
Ascom Cassems